Newsletter – maio 2019


Rede Jovem Anne Frank de Cabreúva promove série de atividades

A Rede Jovem Anne Frank Cabreúva, no interior de São Paulo, vem se fortalecendo e tem realizado desde o início do ano, uma série de atividades educativas que promovem a reflexão sobre igualdade de direitos, combate ao preconceito, discriminação e promoção da democracia e liberdade de expressão. Reunidos quinzenalmente, os jovens da Rede debatem temas de interesse para a juventude e são importantes ferramentas de protagonismo juvenil na cidade.

Rede Jovem Anne Frank de Cabreúva na escola Lucídio Motta Navarro

Como parte de suas ações para 2019, três escolas estaduais da cidade receberão a exposição Aprendendo com Anne Frank – Histórias que Ensinam Valores. Para isso, foi promovido pelo IPB um treinamento chamado pela Anne Frank House como Train the Trainer, que os trouxe conhecimento para treinar vinte e quatro monitores e três professores, que acompanharão as atividades em cada escola.

As escolas estaduais que receberão as exposições são, por ordem de instalação: Lucídio Motta Navarro (20 de maio), Prefeito Antônio Odilon Franceschini (27 de maio) e  Ana Mesquita Laurini (3 de junho).

Oficina Train the Trainer para a exposição Aprendendo com Anne Frank

As exposições encerrarão com um grande evento, reunindo jovens de todas as escolas estaduais, no dia 12 de agosto com o tema: Desafios da Juventude: Vamos Pensar Juntos, em comemoração ao Dia Mundial da Juventude. Os temas que serão discutidos no evento, como perigos advindos de preconceito, discriminação e drogas, foram definidos durante a oficina Vida com Propósito, realizado em maio de 2018 com a participação de mais de 55 jovens de Cabreúva .  

Esta ação da Rede Jovem Anne Frank Cabreúva é um trabalho realizado pelo Instituto Plataforma Brasil e Anne Frank House, em parceria com as escolas, e conta com o apoio das Secretarias Municipais de Cultura e Educação de Cabreúva.


Belo Horizonte abraça o poder educativo de Anne Frank

Desde o ano passado, escolas e bibliotecas de Belo Horizonte têm acolhido exposições e atividades do Núcleo Anne Frank BH em parceria com o Instituto Plataforma Brasil.

De 2018 até aqui, já passaram mais de 30 mil pessoas pelas exposições, em centros culturais, escolas públicas e suas bibliotecas, Cras, CEFET – Centro Federal de Educação Tecnológica, além da escola Theodor Herlz da comunidade judaica de Belo Horizonte.

Apenas neste ano, foram realizadas 22 atividades que incluem exposições, palestras, treinamentos e oficinas, envolvendo mais de 3 mil participantes nas atividades e 8 mil visitantes às exposições.

Para se ter uma ideia da importância que Anne ganhou na cidade, a partir do trabalho desenvolvido pelo Núcleo, no mês de março, a biblioteca da escola municipal Francisca Alves foi nomeada com o nome da jovem escritora judia. 

Painel Anne Frank, produzido pelos alunos

Na ocasião da inauguração da Biblioteca Anne Frank, a presidente do Instituto Plataforma Brasil, Joelke Offringa e a educadora responsável pelo Programa Educativo Anne Frank, Adriana Terra, estiveram em Belo Horizonte para prestigiar o trabalho realizado pelo Núcleo. Além da inauguração da biblioteca e o encontro com os educadores envolvidos nas atividades, a equipe esteve reunida com as lideranças das comunidades do bairro Confisco, onde está a escola Anne Frank e também com as lideranças do aglomerado Santa Lúcia, inclusive apresentando o projeto Cruyff Court Ermelino Matarazzo. 

Visita na escola municipal Glória Marques Diniz

Fortalecendo ainda mais o trabalho realizado na cidade, recentemente, a educadora Adriana retornou a Belo Horizonte para participar da formação dos integrantes do Núcleo Anne Frank e dos professores das escolas que receberão exposições ao longo do ano. 

Além do fortalecimento da Rede Jovem Anne Frank Belo Horizonte, ela também pode acompanhar o trabalho na escola Amilcar Martins. Dentre as surpresas, cordéis de Anne Frank;  alunos experts sobre a história de Anne e a Segunda Guerra Mundial , entusiasmando professores e colegas pela sua dedicação sobre o tema, demonstrando que Anne Frank segue revolucionando mesmo após 74 anos de sua morte.

A exposição Aprendendo com Anne Frank em Belo Horizonte é promovido por meio de uma parceria do Núcleo Anne Frank BH, Instituto Histórico Israelita Mineiro, Instituto Plataforma Brasil e a Casa Anne Frank de Amsterdã e conta com o apoio do Consulado Geral dos Países Baixos no Rio de Janeiro e da Federação Israelita de Minas Gerais.


Cruyff Court Ermelino Matarazzo se reestrutura para nova fase do projeto

Iniciamos 2019 a pleno vapor com as atividades no Cruyff Court Ermelino Matarazzo, atendendo 300 alunos e com 150 na lista de espera.

Com o remanejamento dos custos, prolongamos a verba recebida por meio da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte para além do previsto, entretanto, no início de abril, o projeto suspendeu temporariamente suas aulas por falta de verbas.

Diante das dificuldades, a comunidade – pais, familiares, alunos e professores, se mobilizaram para tentar reverter o quadro e retomar as aulas o quanto antes. Dentre as ações promovidas pelos pais está um manifesto e também uma petição on-line que solicita ao poder público atenção especial ao projeto que já beneficiou mais de quatro mil crianças e adolescentes da região por meio do esporte, ética e cidadania.

Reunião com a comunidade

No dia 25 de abril, o secretário municipal de esportes Carlos Bezerra Jr. e sua equipe, recebeu representantes do IPB e dos pais e familiares dos alunos para conhecer mais de perto os impactos gerados pelo projeto nos últimos oito anos e se comprometeu a buscar soluções para os atuais problemas de gestão e manutenção que o Cruyff Court Ermelino Matarazzo enfrenta, contribuindo assim para a preparação do projeto para a nova fase.

Reunião com secretário de esportes Carlos Bezerra Jr.

Grupo de Estudo

Em outra frente, um grupo de estudo composto por jovens do projeto e voluntários tem se reunido às terças-feiras para compartilhar as informações dos oito anos do Cruyff Court Ermelino Matarazzo e da metodologia aplicada neste período.

O grupo de estudo é liderado por Maurício Teodoro, que foi coordenador no início do projeto (em 2011 e 2012), tempo em que teve a oportunidade de fazer uma formação na Holanda na KNVB – Confederação Holandesa de Futebol. Maurício está agora compartilhando este conhecimento com os jovens e os voluntários.

Desta forma, esta pausa que acontece nas atividades em quadra tem sido aproveitada para aprofundar os conhecimentos e se preparar para a retomada em uma nova fase do Cruyff Court Ermelino Matarazzo com a sistematização de todo o conhecimento gerado em mais de oito anos de projeto e a implantação do Programa Jovem IPB.

O programa jovem IPB visa a continuidade da formação dos jovens que há muitos anos participam do Cruyff Court Ermelino Matarazzo, envolvendo-os ativamente na preparação da nova etapa e estimulando o protagonismo juvenil.


Cruyff Court Ermelino Matarazzo recebe certificado para captação de recursos

Em abril, o Cruyff Court Ermelino Matarazzo recebeu da Secretaria Estadual de Esportes de São Paulo, o Certificado de Incentivo ao Desporto (CID), que torna o projeto apto a receber recursos pela Lei Paulista de Incentivo ao Esporte. O contribuinte interessado em patrocinar uma ação pode destinar até 3% do ICMS mensal devido ao Estado.

Neste ano, o projeto captará recursos em duas frentes: uma para a reforma da quadra onde está instalado o projeto e outra, para o programa esportivo, que prevê aulas de futebol a 300 crianças e adolescentes da zona leste da cidade durante um período de 12 meses.

Equipe Cruyff Court EM com o secretário estadual de esportes Aildo Rodrigues

Para esta nova fase do programa, já contamos com a parceria da Owens-Illinois / Cisper e da empresa MN Tecidos.

Maiores informações sobre o projeto ou sobre outras formas de patrocínio e parcerias, entre em contato conosco pelo e – mail:  projetos@ipbrasil.org .


Go Alemoa Go: retomada das atividades

Empoderar a comunidade por meio de atividades culturais e esportivas que promovam o protagonismo juvenil, que fortaleçam as competências dos moradores locais e que inspirem ações colaborativas: este é objetivo do trabalho desenvolvido pelo projeto Go Alemoa Go.

No ano passado, uma série de atividades foi desenvolvida conectando toda a comunidade local em ações do Programa Educativo Anne Frank e em atividades esportivas, baseadas na metodologia do Cruyff Court Ermelino Matarazzo.

O impacto positivo do projeto começa a dar frutos: antes mesmo da retomada da programação oficial de 2019 que aconteceu em abril, jovens da Rede Jovem Anne Frank Santos, formada por 14 adolescentes que receberam formação do programa em 2018 na UME Oswaldo Justo, passaram a se reunir para pensarem juntos as atividades deste ano. Até o momento, foram 16 encontros, entre reuniões de planejamento, treinamento e visitação aos locais onde as ações serão realizadas.  

Membros da Rede Jovem Anne Frank de Santos

Dentre as atividades da Rede Jovem Anne Frank Santos está a visita ao Orquidário Municipal de Santos, que integrará o Na Onda com Anne Frank – projeto que visa a valorização do local onde vivem, propondo reconhecer suas belezas e se conectar com as reflexões de Anne Frank sobre a vida e as limitações que estava vivendo.

Encantados com a atividade proposta pelos jovens, gestores do Orquidário ofereceram uma capacitação aos adolescentes da Rede, que guiarão alunos do quinto ano durante a visita. No passeio, além de conhecerem as belezas locais, o público encontrará frases de Anne pelo caminho.

Visita ao Orquidário de Santos

Ainda na programação para 2019, estão atividades educativas nas escolas Bartolomeu Gusmão e  UME Oswaldo Justo. A primeira, que atende alunos do Ensino Médio, promoverá atividades relacionadas à exposição Deixe-me Ser Eu Mesmo, que aborda temas como identidade e diversidade, nos meses de agosto e setembro. Na UME Oswaldo Justo, os alunos irão desenvolver atividades relacionadas à exposição Anne e Nanette, em comemoração aos 90 anos das duas amigas. Nanette Blitz Konig foi amiga de classe de Anne e sobrevivente do Holocausto.

As atividades esportivas, baseadas na metodologia do Cruyff Court Ermelino Matarazzo foram retomadas em abril, com a chegada de um novo educador, Allan Fernando. Como forma de integrar a comunidade e trazer melhorias ao espaço onde acontecem as aulas, no início do mês de junho será realizado um mutirão com toda a comunidade e voluntários, que são colaboradores da Vopak para a reforma da quadra.

Para acompanhar as atividades realizadas na comunidade, curta nossa pagina no Facebook: https://www.facebook.com/goalemoago

O Go Alemoa Go é um projeto de desenvolvimento local promovido por meio de uma parceria Vopak/ WeConnect e Instituto Plataforma Brasil na comunidade de Alemoa, em Santos, litoral de São Paulo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s